6 alimentos para curar naturalmente o intestino solto, doença auto-imune

Se você esta sem tempo pra ler a matéria, veja o vídeo abaixo:

Intestino solto é uma síndrome que milhões de pessoas tem e nem sabem.

Você deve pensar que a síndrome do intestino solto, só fere o sistema digestivo, mas pode levar a muitos outros problemas de saúde.

Pense no revestimento do seu trato digestivo como uma rede cheia de buracos pequenos , que só deixam passar algumas coisas.

Seu revestimento intestinal funciona como uma barreira para manter fora coisas maiores que podem prejudicar o sistema.

Quando alguém tem o intestino vazado, essa “rede” fica danificada, permitindo a passagem de algumas coisas que geralmente não podem passar. Como proteínas com glúten, bactérias ruins e pedaços de alimentos não digeridos.

Resíduos tóxicos também podem passar através da parede intestinal para a corrente sanguínea, causando uma reação imune.

Isso leva a um inchaço em todo seu sistema, causando :
Fadiga
Dor nas articulações
Dores de cabeça
Problemas de pele
Problemas Digestivos
Sensibilidade alimentar
Ganho de peso
Tiróide

curar-naturalmente-o-intestino-solto-doenc%cc%a7a-auto-imune

Pode conduzir a problemas mais sérios, como:
Doença Inflamatória
Eczemas
Depressão
Ansiedade
Fadiga crônica
Dor muscular

A Síndrome do Intestino Solto têm sido associada a transtornos psicológicos, como transtorno bipolar, ansiedade e depressão. Assim em muitos casos, se você curar o intestino, pode curar o cérebro.

Estudos mostram que alergias alimentares, baixa energia, dor nas articulações, doença da tiróide, doenças auto-imunes e metabolismo lento poderiam ser sintomas do intestino solto, se espalhando no corpo.

Outro problema do intestino solto, é que pode não capturar mais os elementos importantes, como minerais, nutrientes, ferro, zinco e vitamina B12.

Há algumas causas principais :

1. Dieta pobre

Alimentos que contenham muita lectina, são um risco. Algumas dos alimentos que contem lectina e podem irritar o sistema intestinal são o trigo, arroz e soja. Se você esta tentando curar a síndrome do intestino solto, fique longe de todos os grãos, especialmente aqueles que contenham o glúten.

O leite é outro alimento a ser evitado.A proteína caseína A1 pode prejudicar o intestino. Além de que o processo de pasteurização vai matar as enzimas importantes, tornando açúcares como a lactose, difíceis de digerir.

O açúcar também é prejudicial, pois contribui para o aumento de fermento, candida e bactérias ruins que vão agredir ainda mais seu intestino.

2. Estresse

O estresse enfraquece o sistema imunológico, arruinando o poder que o organismo tem de combater as bactérias e vírus.
Isso leva ao inchaço e ao intestino solto. Para diminuir o estresse procure meios para se divertir durante a semana e pratique meditação.

3. Toxinas

As principais toxinas causadoras da síndrome do intestino solto são antibióticos, pesticidas, água da torneira, aspirina e anti-inflamatórios.

4. Disbiose

Uma das principais causas, é uma condição chamada de disbiose, o que significa níveis desiguais de bactérias boas e más em seu intestino.

Se você tem a síndrome do intestino solto, aqui estão seis alimentos que vão ajudar a aliviar os sintomas:

1. Caldo de Osso
2. Lacticínios de Cultura Viva
3. Legumes fermentados
4. Produtos de cocô
5. Sementes
6. Suplementos

Fonte: 6 Steps to Heal Leaky Gut and Autoimmune Disease Naturally

Se inscreva no canal do Natureba no YouTube e fique por dentro das novidades!

*A prática de exercícios e uma dieta saudável são fundamentais para se ter saúde e ficar em forma. O Natureba é um espaço informativo, de divulgação e educação com temas relacionados a saúde, nutrição e bem-estar. As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde - médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas. OBS: Remédios naturais também tem efeitos colaterais, já que agem de formas diferentes em cada organismo, por isso antes de usar qualquer tratamento alternativo consulte sempre seu médico.