Aprenda como lidar com problemas no fígado e tenha uma vida mais saudável

Se você sente dor no seu lado direito na altura do abdômen e está com a barriga inchada: cuidado. Estes podem ser sintomas de problemas no fígado.

Em casos mais graves, a urina pode ter um tom amarelado escuro, com a cor amarela se estendendo às peles a aos olhos.

São vários os motivos para que o fígado apresente esse tipo de sintomas, como doenças do tipo da ascite, hepatite, esquistossomose cirrose, e hipertensão portal.

Além disso, maus hábitos como o consumo excessivo de álcool e o sedentarismo, além do aumento de peso podem causar doenças no fígado.

O fígado é um órgão delicado e, por isso, outros sintomas que podem passar despercebidos também podem indicar que o órgão não está funcionando corretamente, como por exemplo: dor de cabeça, tontura, coceira generalizada, diarreia, boca seca e/ou com gosto amargo, enjoo seguido de vômito, cansaço constante, falta de apetite, aumento de peso, manchas roxas na pele com facilidade, fezes cinzentas, amareladas, sem cor ou negras, pequenos vasos na pele, diminuição da quantidade de plaquetas no sangue, bem como aumento mamário no caso dos homens, também conhecido como ginecomastia.

Sintomas de problemas no fígado (1)

Quando você perceber que possui vários desses sintomas combinados é recomendado entrar em contato com um médico para verificar que se você está com hepatite e iniciar o tratamento.

A verificação de doenças no fígado é rápida e fácil. Basta fazer um exame de sangue, com um encaminhamento específico para esse fim, chamado hepatograma.

O hepatograma avalia as funções do seu fígado a partir da contagem de elementos específicos do órgão como, o LDH, os AST e ALT; a GGT, também conhecida como Gama GT, a albumina, a fosfatase alcalina, o INR e a TAP ou TP;5′ nucleotidase (5’NTD) e as bilirrubinas direta, indireta e total.

Dependendo da situação, o médico também pode solicitar exames complementares como a tomografia computadorizada e a ultrassonografia.

Dependendo da gravidade da situação e da análise das causas do problema no fígado, os tratamentos podem variar de alterações nos hábitos alimentares do paciente até o tratamento mais ortodoxo com a utilização de medicamentos apropriados para a redução de glicemia, colesterol e possíveis inflamações no órgão.

Também é possível complementar esses tratamentos com fórmulas caseiras, desde com a avaliação e autorização médica, especialmente focando em receitas especialmente à base de boldo, alfazema e alface.

Caso você passe pelas etapas de verificação e análise médica é importante incorporar hábitos para melhorar o funcionamento do órgão, como, por exemplo, a ingestão de 1 litro e ½ de água por dia, no mínimo.

Outro hábito benéfico a ser adotado é a qualidade dos alimentos a serem ingeridos, com a opção por alimentos mais leves, como carnes brancas, peixes, legumes, frutas, queijos brancos, sucos naturais, e leite e derivados desnatados.

A dieta para pacientes com alterações hepáticas tem como elementos principais carnes assadas, cozidas ou grelhadas.

É importante também evitar o consumo de alimentos industrializados como refrigerantes, biscoitos recheados, chocolate e doces em geral, além de evitar o consumo de bebidas alcoólicas em geral.

Mesmo com a alteração na dieta e especialmente durante o andamento do tratamento, deve-se manter o contato e a avaliação do gastroenterologista, que é o especialista apropriado para a análise desse órgão.

Fonte: tuasaude

Se inscreva no canal do Natureba no YouTube e fique por dentro das novidades!

*A prática de exercícios e uma dieta saudável são fundamentais para se ter saúde e ficar em forma. O Natureba é um espaço informativo, de divulgação e educação com temas relacionados a saúde, nutrição e bem-estar. As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde - médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas. OBS: Remédios naturais também tem efeitos colaterais, já que agem de formas diferentes em cada organismo, por isso antes de usar qualquer tratamento alternativo consulte sempre seu médico.