Está em toda parte: 7 perigos chocantes da exposição ao flúor

Quando falamos em flúor, você pode imediatamente associá-lo a saúde bucal, não é mesmo? Não só o creme dental, como os enxagüantes e demais produtos para melhorar a higiene bucal possuem esse mineral em sua composição.

De fato, esse elemento pode ser útil na prevenção de cáries, devido a sua ação anti-enzimática e antimicrobiana, capaz de eliminar algumas bactérias e impedir a multiplicação das mesmas.

Se você esta sem tempo para ler o artigo, veja o vídeo abaixo:

Por essa razão, além de estar presente em produtos de higiene bucal, o flúor também é adicionado à água potável.

Essa prática se tornou controversa, de forma que muitos países baniram ou nunca aceitaram a fluoretação da água como algo seguro para a saúde.

Mesmo sendo eficaz no combate as cáries, muitos pesquisadores questionam a necessidade de acrescentá-lo compulsoriamente à água que bebemos, pois isso seria uma forma de automedicação, que poderia trazer consequências negativas para a saúde.

No vídeo de hoje vamos te mostrar alguns dos potenciais efeitos nocivos relacionados ao excesso de flúor no organismo:

Acelera o envelhecimento

O flúor tem o poder de acelerar os processos de envelhecimento do corpo, além de estimular a degradação de colágeno, a principal proteína para a manutenção da pele, ossos, tendões, cartilagem e dentes.

Provoca problemas na tireóide

O excessivo de flúor no organismo, ingerido através da alimentação, ingestão de água fluoretada ou pastas de dentes pode reduzir também as nossas funções tireoidianas, o que significa maiores riscos de desenvolver doenças como o hipotireoidismo ou hipertireioidismo.

Aumenta os riscos de câncer
Um estudo feito em 1977 comparou as taxas de casos de câncer em cidades que usam flúor na água e outras sem fluoretação.

Nas cidades onde houve fluoretação, percebeu-se um aumento de 10% nas mortes por câncer, considerando o período onde o flúor foi adicionado a água. Enquanto isso, não houve aumento de incidência da doença em cidades que não fluoretaram a água durante o mesmo período.

Promove danos genéticos

Muitos especialistas consideram o flúor um composto capaz de alterar o sistema imunológico, de forma que o organismo ataque a si mesmo, causando o que chamamos de doença autoimune e danos genéticos. Causa impacto nos glóbulos brancos.

O flúor também pode impactar negativamente os glóbulos brancos, comprometendo a sua ação de combate e destruição de bactérias presentes no organismo.

Reduz a inteligência

Alguns estudos feitos com crianças demonstraram que ao serem expostas a quantidades grandes de flúor, esse composto afetou seus sistemas nervosos centrais, não só durante a gravidez, como nos seus primeiros anos resultando em comprometimento da inteligência.

Causa osteoporose

Especialistas acreditam que a exposição a 1ppm de flúor na água pode provocar a diminuição da resistência óssea e da sua elasticidade, levando à osteoporose.

Como você pode ver, o excesso de flúor pode ser muito nocivo para nosso organismo. Fique ligado pois nos próximos vídeos vamos trazer algumas dicas e alternativas naturais para reduzir sua exposição ao flúor.

Se inscreva no canal do Natureba no YouTube e fique por dentro das novidades!

*A prática de exercícios e uma dieta saudável são fundamentais para se ter saúde e ficar em forma. O Natureba é um espaço informativo, de divulgação e educação com temas relacionados a saúde, nutrição e bem-estar. As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde - médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas. OBS: Remédios naturais também tem efeitos colaterais, já que agem de formas diferentes em cada organismo, por isso antes de usar qualquer tratamento alternativo consulte sempre seu médico.