Médicos alertam: o esmalte que você passa nas unhas pode fazer mal para a saúde

Se você esta sem tempo para ler o artigo, veja o vídeo abaixo:

Algumas pessoas creditam que fazer suas próprias unhas em casa é uma forma relaxante e criativa de expressão. Infelizmente, fazer as unhas não é tão inofensivo quanto parece.

Um estudo da Universidade de Duke, nos EUA, mostra que mesmo que o esmalte seja aplicado somente à unha, nossos corpos ainda absorvem os produtos químicos constantes no esmalte de unhas convencional.

Esse estudo mostrou especialmente que o fosfato de trifenilo (TPHP) permanece no corpo por um período de 10 a 14 horas após a aplicação do esmalte de unhas. Esse produto químico interrompe o processo de secreção interna das glândulas do corpo.

Quem faz as unhas fora de casa aumenta o risco de exposições químicas ao frequentar os salões de beleza devido ao aumento de exposição química pela presença de várias estações de trabalho diferentes. No entanto, são as manicures que correm o maior risco, uma vez que são expostas a esses produtos químicos em uma base diária.

Veja os dez componentes presentes nos esmaltes que fazem mal à saúde:


A intenção deste vídeo não é impedir, criticar ou tentar convencer ninguém a deixar de usar esmaltes nas unhas. Apenas listamos os itens químicos perigosos que podem constar na composição do seu esmalte de unhas, para que você possa identifica-los e evitar comprar esmaltes com essa composição.

Butil ou acetato de etilo – esse elemento é tóxico quando inalado, além de ser altamente inflamável. Além disso, este produto químico pode ser altamente prejudicial aos órgãos internos no caso de exposição repetida ou prolongada.

Cânfora – este ingrediente tóxico e venenoso, pode aumentar a toxicidade do corpo, causar convulsões e nervosismo / irritabilidade.

Dibutilftalato (DBP) – elemento químico que pode causar perturbações endócrinas e toxicidade do sistema orgânico.

Formaldeído (ou derivados) – esse é um cancerígeno famoso que pode causar reações alérgicas, erupções cutâneas e irritações. Embora não seja mais tão usado quanto antes é importante lembrar que ainda existem esmaltes com esse químico.

Nitrocelulose – apresenta reações moderadas quanto à toxicidade de órgãos. É muito usado na produção de tinta para carros, bem como em dinamite e fogos de artifício.

Parabenos – este produto químico atua como conservante. Há uma grande variedade de parabenos e nenhum dos quais deve ser usado, uma vez que eles estão ligados ao desenvolvimento de cânceres.

Tolueno – é um produto químico nocivo usado em esmaltes de unhas, revestimentos base e revestimentos finos para dar durabilidade ao esmalte de unha. A exposição excessiva pode resultar em dores de cabeça, tonturas e pele rachada, bem como efeitos mais graves, como danos reprodutivos e complicações respiratórias. O tolueno também pode causar danos ao sistema nervoso central.

TPHP – este produto químico aumenta a validade do esmalte de unha. Conforme mencionado anteriormente, é um disruptor endócrino e é conhecido por causar problemas de desenvolvimento e reprodução em animais.

Xileno – é um produto químico muito irritante para a pele, olhos e sistema respiratório. O xileno também afeta o sistema nervoso central com sintomas como dores de cabeça, tonturas e tremores. O xileno é tóxico para o sangue, os rins, o sistema nervoso e o fígado provocando danos caso haja uma exposição prolongada ao produto.

Plastificante – ele possui propriedades antibacterianas e aumenta a resistência aos antibióticos.

Dicas de como escolher o seu esmalte e de opções alternativas:

Procure esmaltes que tenham todos os ingredientes listados no rótulo.

Verifique os sites da empresa de esmalte para obter uma lista completa de ingredientes e qualquer informação adicional. Opte por fazer suas unhas em casa para minimizar as exposições químicas.

Saiba o que você está comprando. Muitas empresas criaram versões hipoalergênicas dos esmaltes. Dependendo da empresa, pode-se conseguir eliminar até todos os produtos químicos dos esmaltes. As opções geralmente recebem o selo “free”. Veja como funciona o selo free dos esmaltes:

3 free – Livre de: Formaldeído, tolueno, DBP. 5 free – livre de: Formaldeído, tolueno, DBP, resina de formaldeído e cânfora.
7 free – Livre de: Formaldeído, tolueno, DBP, resina de formaldeído, cânfora, TPHP e xileno.
7 free – Livre de: Formaldeído, tolueno, DBP, resina de formaldeído, cânfora, xileno e parabenos.
8 free – Livre de: Formaldeído, tolueno, DBP, resina de formaldeído, cânfora, xileno, plastificantes e fosfato de trifenilo.
9 free – Livre de: Formaldeído, tolueno, DBP, resina de formaldeído, cânfora, xileno, plastificantes, parabenos e acetona.

Fonte: theheartysoul

Se inscreva no canal do Natureba no YouTube e fique por dentro das novidades!

*A prática de exercícios e uma dieta saudável são fundamentais para se ter saúde e ficar em forma. O Natureba é um espaço informativo, de divulgação e educação com temas relacionados a saúde, nutrição e bem-estar. As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde - médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas. OBS: Remédios naturais também tem efeitos colaterais, já que agem de formas diferentes em cada organismo, por isso antes de usar qualquer tratamento alternativo consulte sempre seu médico.