Veja por que o ministério da saúde de um país asiático proibiu a vendo do ketchup heinz

A notícia não foi divulgada no Brasil, mas nos Estados Unidos e na Europa ela mereceu destaque até em grandes veículos, como a revista Time e a BBC.

Você tem o direito de saber, não é mesmo?

Vamos contar a história que tentaram “abafar” aqui no Brasil. Em Israel, o governo resolveu proibir a venda do Ketchup Heinz.

Essa marca é conhecida mundialmente e tem fama de produzir um dos melhores ketchups do mundo.

Mas, para o Ministério da Saúde de Israel, isso é apenas fama.

Esse ministério foi curto e grosso: Heinz não é ketchup.

E o argumento é simples e bastante lógico: não há tomate suficiente nesse produto e, sem tomate, não existe ketchup.

Mas, se não há tomate, o que existe no ketchup Heinz?

A Heinz se defendeu e o porta-voz da empresa declarou que “A receita do Ketchup Heinz é original desde 1876 e ele é vendido em Israel e no mundo com o mesmo padrão inalterado”.

Mas o governo de Israel não aceitou esse argumento e exigiu que o fabricante retirasse o nome “ketchup” do rótulo.

O governo entende que o produto da Heinz pode ser tudo, menos um ketchup.

E hoje o ketchup mais famoso do mundo, em Israel, não pode ser mais comercializado como ketchup.

E com todo o direito, pois o Ketchup Heinz, segundo o governo israelente, tem apenas 21% de tomate.

O problema é que a indústria não se preocupa com nossa saúde.

Então, por motivos econômicos, enche um simples ketchup com produtos nada saudáveis.

ketchup_heinz-3829312021

Alguns desses produtos são:

1. Xarope de milho, altamente prejudicial e pior que açúcar. Para complicar ainda mais, hoje é feito com o nefasto milho transgênico.

O uso contínuo de xarope de milho pode prejudicar o metabolismo e danificar o fígado.

2. Açúcar em grande quantidade. Não é necessário explicar por que açúcar em excesso faz mal, não é mesmo?

E o que devemos fazer? O ideal é produzirmos o nosso próprio ketchup em casa. Um ketchup muito mais saboroso e saudável.

Veja como fazer seu ketchup em casa:

INGREDIENTES

1 cebola-roxa

1 talo de aipo

2 dentes de alho

Gengibre fresco

Meia pimenta vermelha fresca

1 colher (sopa) de sementes de coentro (vende-se em lojas de temperos/especiarias)

Manjericão fresco

1 colher (chá) de pimenta do reino moída

Sal marinho

1 kg de tomate

200 mL de vinagre de vinho tinto (vende-se em bons supermercados)

2 colheres (sopa) de açúcar mascavo

MODO DE PREPARO

Primeiro separe uma panela grande. Coloque todos os legumes dentro.

Dê um toque de azeite, gengibre, pimenta vermelha, coentro e alho. Acrescente pimenta do reino e uma pitada de sal.

Deixe cozinhar em fogo baixo por 10 minutos e lembre-se de mexer ocasionalmente.

Em seguida, coloque os tomates em uma panela com 350 mL de água e deixe ferver até que o molho seja reduzido pela metade.

Adicione as folhas de manjericão. Depois, bata o molho de tomate no liquidificador com os legumes cozidos na primeira parte da receita e peneire .

Leve para ferver novamente até que o molho engrosse. Adicione o vinagre e o açúcar.

Deixe ferver até atingir aparência e textura de ketchup.

Armazene o ketchup em frasco esterilizado e em local fresco e escuro.

Em tempo: o fabricante encontrou um jeitinho para continuar vendendo seu “ketchup” em Israel.

Tirou do rótulo a palavra “ketchup” em hebraico.  Nada mais justo: afinal o produto da Heinz, ficou provado pelo governo de Israel, pode ser tudo, menos ketchup.

Fonte: Revista Time e BBC

Se inscreva no canal do Natureba no YouTube e fique por dentro das novidades!

*A prática de exercícios e uma dieta saudável são fundamentais para se ter saúde e ficar em forma. O Natureba é um espaço informativo, de divulgação e educação com temas relacionados a saúde, nutrição e bem-estar. As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde - médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas. OBS: Remédios naturais também tem efeitos colaterais, já que agem de formas diferentes em cada organismo, por isso antes de usar qualquer tratamento alternativo consulte sempre seu médico.