Você já ouviu falar em intolerância a lactose? Conheça a causa, os sintomas e o tratamento

Constantemente ouvimos falar sobre intolerância a lactose. A intolerância a lactose nada mais é que a incapacidade do organismo de digerir açúcar encontrado no leite e derivados.

E isso acontece, quando o intestino delgado deixa de produzir a quantidade necessária de lactase, que é responsável por quebrar as moléculas de lactose e transforma-las em glicose e galactose.

Podemos separar os níveis de intolerância em três grupos:

Intolerância primária: normalmente atinge pessoas mais velhas. Ao nascer nosso organismo produz muita enzima lactase, mas ao envelhecer essa produção vai diminuindo. Desenvolvendo um quadro de intolerância.

is-there-a-way-to-treat-lactose-intolerance-stomach-painis-there-a-way-to-treat-lactose-intolerance-stomach-pain

Intolerância secundária: quando resulta de uma doença ou ferimento. Nesse caso o intestino delgado deixa de produzir a lactase, por conta de doenças (doença celíaca, gastroenterite e doença de Crohn, entre outras) ou realização de cirurgias.

Intolerância congênita: adquirida desde o nascimento. É raro, mas pode acontecer. No caso a criança já nasce com deficiência na produção de lactase. Essa doença é uma herança autossômica recessiva. Ou seja é transmitida pelo pai e pela mãe ao filho.

Para saber se você possui intolerância, fique atento após ingerir alimentos ou bebidas que contenham lactose. Os sintomas normalmente surgem de 30 minutos a 2 horas depois:
-Diarréia
-Náuseas
-Dores de barriga
-Sensação de inchaço

Caso você note que possua os sintomas, procure um médico. Para se certificar ele vai solicitar alguns exames:

Se inscreva no canal do Natureba no YouTube e fique por dentro das novidades!

*A prática de exercícios e uma dieta saudável são fundamentais para se ter saúde e ficar em forma. O Natureba é um espaço informativo, de divulgação e educação com temas relacionados a saúde, nutrição e bem-estar. As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde - médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas. OBS: Remédios naturais também tem efeitos colaterais, já que agem de formas diferentes em cada organismo, por isso antes de usar qualquer tratamento alternativo consulte sempre seu médico.