Você leva o celular no bolso? Depois de ler isto não vai mais querer

Os telefones celulares se tornaram “ferramentas” essenciais do homem moderno e, sem eles, a vida seria simplesmente impensável para muitos.

A tecnologia dos aparelhos celulares é relativamente nova e as consequência disso ainda não são conhecidas com convicção.

Na verdade, todos nós estamos sendo cobaias do que talvez seja o maior experimento que já ocorreu.

Quer saber por que você não deveria levar seu celular no bolso?

Um fato curioso é que algum tempo atrás a exposição às ondas eletromagnéticas foi considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como possivelmente cancerígena.

Ou seja, para a OMS, “possivelmente” o celular causa câncer.

“Possivelmente” não é certeza, ou seja, a OMS põe o fato no campo das possibilidades porque ainda não há provas concretas.

Talvez não existam provas “concretas” de que o celular cause câncer, mas existem sim muitos estudos correlacionando o celular a sérios problemas de saúde.

Por exemplo, segundo pesquisadores da Universidade de Exeter, no Reino Unido, deixar o celular no bolso da calça pode contribuir para a infertilidade masculina.

celular bolso (2)

Para chegar a essa conclusão, os cientistas analisaram 10 pesquisas, que incluíam 1.492 amostras de espermas cedidas por clínicas de fertilização e centros de pesquisa.

As amostras que tinham sido expostas à radiação do celular apresentaram redução de 8% na motilidade e de 9% na viabilidade dos espermatozoides.

Ou seja, houve uma redução da atividade e do percentual de espermatozoides vivos.

Além de exporem o esperma à radiação, celulares no bolso também podem elevar a temperatura da região do testículo, o que poderia comprometer a qualidade dos espermatozoides.

Outro estudo, realizado na Suécia, mostrou que o uso prolongado desse tipo de aparelho aumenta em 240% o risco de desenvolvimento de tumores no cérebro.

O estudo analisou 2.200 pacientes com câncer e 2.200 usuários saudáveis, em busca de alguma conexão entre o uso de aparelhos celulares e o desenvolvimento de tumores cerebrais.

Segundo Kjell Mild, líder do estudo, o uso dos celulares aumentou em 240% o risco de câncer no lado da cabeça onde o celular é mais usado.

Verdade que o estudo fala de uso prolongado, mesmo assim é preocupante, pois muita gente fica horas ao celular e alguns dormem até com o aparelho ao lado da cabeça.

Há muitos outros estudos conectando o celular a doenças, poderíamos escrever páginas e mais páginas sobre eles.

No entanto, o mais importante é orientar você para minimizar os riscos dessa tecnologia na sua vida.

Claro que, num mundo onde a quantidade de aparelhos móveis caminha para superar a de pessoas, é impossível ficar livre da poluição eletromagnética causada por esses aparelhos.

celular bolso (1)

Mas existem sim medidas que atenuam a ação negativa das ondas eletromagnéticas do celular.

Veja algumas:

– Use fones de ouvido ou o viva-voz.

– Não deixe o telefone ligado perto do corpo.

– Não fale em lugares apertados e onde o sinal fica fraco, como carros e elevadores.

– Cuidado com gadgets que prometem proteger contra a radiação, pois a maioria piora a radiação e força o celular a transmitir com mais potência.

– Oriente seus filhos para que enviem mais mensagens (SMS ou WhatsApp) em vez de fazer ligações.

– Grávidas devem manter o celular longe da barriga.

– Homens devem evitar carregá-lo no bolso, pois a radiação do aparelho pode prejudicar a fertilidade.

– Se tiver de deixá-lo no bolso (se for a única maneira), vire o lado do teclado para o seu corpo, pois as antenas, onde há maior radiação, ficam na parte de trás.

Fonte:  cbsnews

Se inscreva no canal do Natureba no YouTube e fique por dentro das novidades!

*A prática de exercícios e uma dieta saudável são fundamentais para se ter saúde e ficar em forma. O Natureba é um espaço informativo, de divulgação e educação com temas relacionados a saúde, nutrição e bem-estar. As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde - médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas. OBS: Remédios naturais também tem efeitos colaterais, já que agem de formas diferentes em cada organismo, por isso antes de usar qualquer tratamento alternativo consulte sempre seu médico.